Resenha: Another –  Quem é o morto?

Another, LivroAutoria: Yukito Ayatsuji
Editora Original: Kadokawa Shoten – 2009
Editora Nacional: JBC – 2015
Gênero: Colegial, Suspense, Ficção
Tradução: Edward Kondo
Páginas: 392

Another fez um sucesso considerável, foi adaptado para anime, mangá, live-action e etc, mas a obra original é um livro de 2009 que conta a bizarra situação que assola a turma 3-3 da Escola Ginasial Yomiyama do Norte.

Tudo começou quando um aluno chamado Misaki, o cara mais amado por todos, morreu subitamente, porém a classe não aceitou a perda e juntamente com o professor, começaram a fingir que ele não tinha morrido, e assim como se nada tivesse acontecido, os colegas “conversavam” com ele e até nas chamadas o falecido continuava presente. Mas eles não contavam que essa solidariedade traria a Morte para mais perto da turma, que a partir daquele ano, um fantasma que não sabe que está morto se infiltra no meio dos alunos atraindo diversas tragédias.

O Grito, Edvard Munch, Skrik

“…não é o homem que está gritando…, e sim, o mundo à sua volta. O homem está tapando os ouvidos assustado com esse grito” – Mochizuki (Another)

(mais…)

10 anos da Editora New Pop – 2º New Pop Day: Evento e Lançamentos

Em um sábado chuvoso, 21 de janeiro de 2017,  vários fãs de mangás ocupavam um pequeno auditório em São Paulo para prestigiar o 2º New Pop Day  e esperar ansiosamente os anúncios que a Editora New Pop iria revelar nesse ano em que ela completou uma década de atuação.
O “evento”, ou melhor, o encontro foi simples mais foi de coração. Teve algumas palestras bem interessantes, venda de títulos da New Pop e da Editora Draco com descontos e um pessoal do AreaE fazendo caricaturas.

Uma das palestras que contou com a participação de membros da redação do Crunchyroll, do Suco de Mangá, do Noticias Anime United e do Urso do Video Quest, era pra ser uma discussão sobre quais seriam os pilares de um bom mangá, mas logo o foco  passou a ser como eles fazem suas resenhas e avaliações.

O tema da segunda palestra foi o No Game No Life, que até foi uma boa ideia e eu espero que, como o Júnior Fonseca, o dono da editora, falou, esses bate papo experimental sobre as séries lançadas pela empresa sejam mais comum, eles só precisam de um apresentador melhor.

A melhor palestra foi, estranhamente, a de Quadrinhos Nacionais, tanto por questão de assunto, quanto por desenvoltura dos participantes, que foram o Douglas MCT (autor de Hansel & Gretel), Fábio Sakuda ( autor de DeadZone), Raphael Fernandes (Editora Draco) e Fabrizio Yamai (escola de Desenho AreaE).

Pra fechar o próprio Júnior veio dar a situação de algumas obras que já tinham sido anunciadas como: Suicide Club (previsto para fevereiro), Pinóquio (previsão para o 1º trimestre de 2017) de Osamu Tezuka, as Comics de Tomb Raider e Halo (sem prazo). Sobre a continuidade  de No Game No Life, Fate/Zero (vol 6 previsto para junho), novel de Nº6 (que deve esperar o nivelamento com o mangá), Hetalia (previsão de termino em março), K’SIDE RED (previsto para fevereiro), Log Horizon (vol.3 previsto para fevereiro), Alice Hearts e Loveless (mudanças para trimestrais).

Falou das reimpressões de 1945, o primeiro mangá da New Pop, do Speed Racer em formato box, Jardins das Palavra e 1 Litro de Lagrimas.
Agora de novos títulos tivemos dois Yuri (romance lésbico):

Philosophia

Philosophia; Amano Shuninta; Yuri

  • Roteiro/Arte: Shuninta Amano
  • Volume Único

Sunset Orange Lips

Sunset Orange Lips; Rakuroichi, Yuri

  • Roteiro/Arte: Rokuroichi
  • Volume Único

Mais um Madoka Magica, dessa vez o The Rebelion Story

Madoka Magica - The Rebellion Story, Madoka Magica

  • Roteiro: Magica Quartet
  • Arte: Hanokage
  • 3 volumes

Do mesmo autor de Aku no Hana, o Happiness:

Happiness; Oshimi Shuzo

  • Roteiro/Arte: Shuuzou Oshimi
  • Publicação em andamento no Japão

O mangá de Clockwork Planet, do mesmo criador de No game No Life:

Clockwork Planet; Himana Tsubaki,; Kamiya Yuu; Kuro

  • Roteiro: Yuu Kamiya / Tsubaki Himana
  • Arte: Kuro
  • Publicação em andamento no Japão

Um dos meus títulos favoritos, o drama Koe no Katachi:

Koe no Katachi, A silent Voice; Ooima Yoshitoki

  • Roteiro/Arte: Yoshitoki Ooima
  • 7 volumes

E pra fechar o engraçadíssimo Great Teacher Onizuka:

GTO; Great Teacher Onizuka;

  • Roteiro/Arte:  Fujisawa Tohru
  • 25 volumes

Mas diz ai, qual foi o anúncio que mais te animou? O que você estava esperando e não tá na lista?
Pessoalmente, pela New Pop ser a única editora que tem essa fé nos Ligth Novel, eu estava torcendo pelo Bakemonogatari vir pra cá, mas estou muito contente com o GTO e principalmente com o Koe no Katachi.

E só pra finalizar com minhas inpressões do evento, acredito que o saldo foi positivo, na primeira edição do New Pop Day eu infelizmente não pude ir, gostei do bate papo e da iniciativa da editora se encontrar com o publico fora dos grandes eventos, de criar essa aproximação, acredito que eles estão no caminho certo. Que venham mais 10 anos!

Resenha: Kabaneri of the Iron Fortress

Koutetsujou no Kabaneri, kabaneri of the iron fortress

Nome Original: Koutetsujou no Kabaneri
Roteiro: Ichiro Okouchi (Code Geass)
Direção: Tetsurou Araki ( Death Note, Shingeki no Kyojin)
Estúdio: Wit Studio ( Shingeki no Kyojin, Rolling☆Girls)
Ano: 2016
Gênero: Ação, Steampunk
Classificação: +17
Capítulos: 12
Obra Original

Em um Japão alternativo Steampunk/Medieval assolado por zumbis que surgiram durante a revolução industrial, aqui chamados de Kabanes, onde samurais, xoguns e cidades muradas convivem com armas pneumáticas, trens a vapor fortificados cruzam todo o país. E é em um trem, o Koutetsujou, que boa parte da trama é desenvolvida e se essa máquina pode ser considerada um personagem, talvez ela seja um dos mais carismáticos do anime.

Koutetsujou no Kabaneri, kabaneri of the iron fortress

E sobre os personagens, temos o protagonista, Ikoma, um mecânico de locomotiva que tem como objetivo aniquilar todos os mortos vivos, só que logo no primeiro episódio ele acaba mordido, mas consegue travar a transformação (Opa! Ele virou a coisa que ele mais odeia? Eu já vi isso antes), o que o torna resistente a outras mordidas de Kabanes. Ikoma também inventa uma arma capaz de perfurar o coração revestido de metal dos monstros e fica super empolgado, mas dá para perceber logo, que existem outras formas de matar o inimigo e tem gente que é muito bom nisso.

Mumei, é um desses casos, ela é muito ágil e derrotas os Kabanes facilmente e assim como o personagem principal, Mumei é meio Kabane, ou Kabaneri, como ela prefere ser chamada. Esses dois são realmente os únicos que importam, uma pena porque eu tinha expectativas que a maquinista fosse interessante…

Koutetsujou no Kabaneri, kabaneri of the iron fortress, Yukina

Com o tempo Ikoma e Mumei começam a se relacionar, e do nada o herói decide que quer tornar sua amiga humana de novo e convence ela que isso é uma boa ideia, mas na verdade ele, apesar de todo seu ódio, deveria pensar pelo lado positivo, agora eles são mais resistentes, rápidos e uteis a tripulação, e só precisam de um sanguinho para se sustentarem, então que tal aniquilar a ameaça primeiro?

Koutetsujou no Kabaneri, kabaneri of the iron fortress, Mumeii, IkomaA junção do mundo pré-moderno com a Idade Média japonesa ficou muito interessante, o uso dos trens como habitat humano e único meio de transporte de longa distância, lembra de leve o filme O Expresso do Amanhã. O anime não dá nenhuma ideia de o que está acontecendo no restante do mundo, se os Kabanes já se espalharam por toda a terra, o único indicio que temos de terras estrangeiras é um personagem gringo, que inclusive foi interpretado por um americano Maxwell Power, um ponto positivo, pois eu acho que isso é raro, na maioria das vezes temos um dublador japonês emulando línguas estrangeiras.

Positivo também são as cenas de ação, que são bem dinâmicas e a arte da animação também é bem-feita, devo admitir que o design dos personagens parece meio antigo,  enquanto as CGI são bem suaves, tudo feito sem relaxo, talvez o fato de ser uma produção original ajude na plasticidade.

Pena que a trama não empolga, o pequeno mistério que existe não é instigante e nem te faz torcer por uma segunda temporada, apesar de já ter sido anunciada.

Kabaneri of the Iron Fortress tem suas qualidades, mas acredito que ele esteja ganhando mais atenção do que merece, o anime não é mais que um Attack on Titan classe B.

Koutetsujou no Kabaneri, kabaneri of the iron fortress,

Obs: Eu assisti esse anime no Amazon Prime Video legendado, por falta de opção, em Português de Portugal e foi uma ótima pedida, a língua mais rebuscada deu um clima antigo a época retratada.

OTALINK #29

Olá! A quanto tempo, né?
Eu estava meio que surtando com o meu TCC, mas está tudo bem agora! Sem mais delongas, vamos voltar ao funcionamento normal.

Nesse mês rolou a 3ª edição da CCXP, que foi muito maneira! Os caras acertaram criando a área “Anime Experience”, que apesar de pequena, era aonde estava localizada as 12 Armaduras de Ouro dos Cavaleiros dos Zodíacos, com certeza um dos espaços mais lotados, acredito que agradou os fãs da cultura pop japonesa gostaram muito dessa consideração.
Dessa vez eu apertei o cinto e resolvi não gastar muito, mas comprei uns mangazinhos, depois eu faço um vídeo.

Vamos aos links:

  • Vários teasers e imagens de divulgação sobre live-actions saíram nessa ultima semana, mas o que está dando o que falar é a adaptação hollywoodiana de Naruto. Eu não entendo essas escolha de adaptação, existem tantos outros títulos possíveis e mais simples de adaptar…
  • O OtakuPT fez uma matéria sobre o premiado mangá ECHOES  que trata de sexualidade com um fundo de esporte, mais especificamente a questão transgênera. E eu fiquei realmente curioso, vou da uma lida.
  • A patinadora Medvedeva uma grande otaku e é obvio que ela iria pirar no anime de patinação no gelo Yuri!!! on Ice. O inusitado é que em uma apresentação da atleta, um fã lhe deu uma pelúcia de bolinho de arroz, assim como a do protagonista do anime, leia mais aqui.

Até mais e lembre-se: Take care of yourself

Animes da Amazon Prime Video

Dia 14 de dezembro de 2016, o serviço de streaming da Amazon, o Prime Video, se tornou disponível em mais de 200 países. O acesso ao conteúdo está em promoção, $3 (R$ 10) nos seis primeiros meses, sendo que o preço normal é $6 (R$ 20), mas é possível aproveitar gratuitamente o site  por uma semana.

Amazon Prime VIdeo

O Prime Video oferece  a conceituada serie Mr. Robot, Fear of Walking Dead e tem produções originais como: O homem do Castelo Alto, que é baseado em uma obra de Philip K. Dick ,Transparent, Hand of God e outras.

Na Amazon temos apenas 23 animes, nenhum tem a opção de dublagem em português e apenas seis deles tem legenda em pt-br. O legal é que alguns dos desenhos, dois em português de Portugal ( BATTERY  e KABANERI) , mas a maioria em inglês, estão com opening e a ending traduzidas, coisa que eu não vejo mais faz tempo. Porem as sequencias de Magical Girl Lyrical NANOHA, a StrikerS e a A’S, não têm opção de legenda alguma.

Magical Girl Lyrical NANOHA

E falando em legenda, a Prime Video oferece diferentes tamanhos de legenda e a opção de legendas amarelas, que eu acho ótimo, o problema é que a legenda fica dentro de uma caixa preta, atrapalhando a animação.

Esses são os animes disponibilizados:
BATTERY the animation – disponível no Crunchyroll
The Great Passage (Fune wo Amu)
Is It Wrong to Try to Pick Up Girls in a Dungeon? (Dungeon ni Deai wo Motomeru no wa Machigatteiru Darou ka) – disponível no Crunchyroll
Vivid Strike!
Magical Girl Lyrical NANOHA
Magical Girl Lyrical NANOHA StrikerS
Magical Girl Lyrical NANOHA A’s
KABANERI OF THE IRON FORTRESS ( Koutetsujou no Kabaneri)
Undefeated Bahamut Chronicle (Saijaku Muhai no Bahamut)
Log Horizon – disponível no Crunchyroll
GATE – disponível no Crunchyroll
Norn9
Shin chan Spin-off vol.1 Aliens vs. Shinnosuke (Crayon Shin-chan Gaiden: Alien vs. Shinnosuke)
Hozuki’s Coolheadedness (Hoozuki no Reitetsu) – disponível no Crunchyroll
Chivalry of a Failed Knight (Rakudai Kishi no Cavalry)
Ushio & Tora – disponível no Crunchyroll
Onigiri
Girls Beyond the Wasteland (Shoujo-tachi wa Kouya wo Mezasu)
Momokuri – disponível no Crunchyroll
Monster Musume – disponível no Crunchyroll
Brother’s Conflict
Chi’s Sweet Adventure
Himouto! Umaru-chan – disponível no Crunchyroll

Apesar de não ter como forte os animes, a oferta da Netflix é melhor que na Amazon Prime Video e considerando também os filmes e séries, o streaming da Amazon ainda está longe da rival.